Quem somos

Quem somos

A Papel Social atua em duas frentes: pesquisa de cadeias produtivas e projetos de comunicação comprometidos com os direitos humanos.

No campo da pesquisa, o foco é identificar e documentar condições de trabalho e garantia de direitos em redes de negócios.

No campo da comunicação, a produção de conteúdos que disseminam iniciativas realizadas pelas organizações parceiras.

O que fazemos

Cadeias produtivas

A fabricação de uma mercadoria passa por inúmeras etapas antes de chegar ao consumidor. Alguns elos da cadeia produtiva são tão complexos que nem as empresas os conhecem. Entender essa dinâmica é fundamental para a garantia de direitos.

A Papel Social investiga cadeias produtivas, atribui responsabilidades entre os diferentes atores e aponta caminhos para erradicar as violações. Os resultados são apresentados em forma de relatórios, filmes, livros e plataformas multimídia.

Comunicação

Organizações parceiras conduzem dezenas de projetos, em diferentes regiões do país. A Papel Social acompanha esse trabalho documenta os resultados.

Equipe

Marques Casara

Diretor Executivo

Graduado em Comunicação Social pela UFSC e pós-graduado em Comunicação e Semiótica pela PUC/SP. Especializou-se em investigação de cadeias produtivas após um longo período como como jornalista, editor e roteirista em veículos dos grupos Globo, Abril e SBT. Foi agraciado duas vezes com o Prêmio Esso de Jornalismo e outras duas com o Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos, dentre outros.

Poliana Dallabrida

Coordenadora de Projetos

Graduada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina, atua em pesquisas de cadeias produtivas desde 2016, com destaque para os setores de alimentos, mineração e vestuário. É a autora do livro “Escravos da Erva”, que investigou casos de escravidão moderna na produção de erva-mate no Brasil. Dirigiu o curta metragem “Rota do Cacau”, sobre condições de trabalho na cadeia produtiva do chocolate.

Vitor Shimomura

Multimídia

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina, dirigiu o filme Cacau Amado (Canal Futura). Para a Papel Social, realizou documentários sobre as cadeias produtivas do gesso, óleo de palma, castanha, frutas e tabaco. O curta metragem “Sertão Branco”, sobre as condições de trabalho no polo gesseiro de Pernambuco, conquistou o Prêmio Transformação Social, concedido em 2019 pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).

Tatiana Cardeal

Fotografia

Graduada em Artes Visuais pelo Centro Universitário de Belas Artes de São Paulo. Recebeu prêmios nacionais e internacionais, com destaque para a nomeação para o All Roads Photography Programof National Geographic Society e o “Documentary Award” at the Humanity Photo Awards in China (by UNESCO). No Brasil, recebeu o Prêmio Esso de Jornalismo e o Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos, dentre outros. Participou de exposições nos Estados Unidos, Europa e Ásia. Para conhecer o trabalho de Tatiana, acesse www.tatianacardeal.com.